Estudante é preso por racismo e desacato a policial, no ES

Segundo policiais, o estudante de Direito ofendeu um dos guardas de 'macaco'

Gheisa Lessa - Central de Notícias,

31 de maio de 2012 | 14h26

São Paulo, 31 - Um estudante de Direito, de 29 anos foi preso na tarde da última quarta-feira, 31, por racismo e desacato contra agentes da polícia, na região de Vila Velha, no centro do Espírito Santo.

De acordo com o delegado plantonista que registrou o caso, Robson Lemos Martins, o homem estava passando com seu cachorro na praia Itapoã pela areia, área que é proibida a passagens de animais.

Segundo o delegado, dois guardas municipais seguidos de agentes guarda-vidas abordaram o estudante para pedir que ele se retirasse da areia com o cachorro. De acordo com informações dos guardas, o homem reagiu discutindo com eles e chegou a ofender um dos guarda-vidas, chamando-o de "macaco".

Com a ofensa, pedestres que passavam pelo local teriam se revoltado e tentado linchar o homem que acabou sendo protegido pelos guardas municipais, afirma Martins. Os guardas chamaram a Polícia Militar que algemou o estudante, que protestava contra a prisão.

Martins afirma que o estudante de 29 anos foi autuado por injúria racial e por desacato aos policiais militares. A pena por injúria racial varia entre 1 e 3 anos de prisão. O estudante passou a tarde da quarta-feira detido, quando ao fim do dia, de acordo com o delegado, seus familiares pagaram a fiança de R$ 5 mil.

Martins afirma ainda, que no momento do pagamento da fiança, a mãe do estudante afirmou que o homem tem problemas psicológicos. De acordo com o depoimento da mulher, o filho estudava direito na Alemanha e teria trancado a matrícula dos estudos em função do distúrbio mental.

Mais conteúdo sobre:
desacato policialracismoES

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.