Estudante mata avó e empregada em São Paulo

O estudante Gustavo Pereira, de 22 anos, foi preso neste domingo após a assassinar a avó e a empregada de sua casa, um sobrado de classe média alta no Planalto Paulista, bairro da zona sul de São Paulo. Sob efeito de cocaína, segundo a polícia, Gustavo degolou a avó Vera Kuhn Pereira, de 73 anos, quando ela estava na cama, de madrugada. Horas depois, pela manhã, esfaqueou a empregada Cleide Ferreira da Silva, de 20 anos.De acordo com policiais, o rapaz - praticamente de artes marciais que cursou parte da faculdade de direito e tinha sido aprovado recentemente no vestibular para educação física - começou a consumir cocaína no fim da noite de sábado. Ele havia trocado um aparelho de som da casa por três papelotes da droga na Favela do Mauro, Planalto Paulista. De madrugada, o estudante degolou a avó com uma faca. Mais tarde, teria trocado um veículo Gol por mais 55 porções de cocaína, no mesmo local. Após consumir mais droga, de manhã, Gustavo partiu para o segundo assassinato. Desta vez, a vítima foi a empregada da casa, que já tinha colocado a mesa do café e estava na frente ao fogão quando foi atacada.Policiais revelaram que, após o duplo homicídio, o rapaz teve um "branco" de algumas horas, quando decidiu que iria trocar o segundo carro da casa, um Vectra, por um revólver. Desesperado com o que havia feito, Gustavo queria se matar. Enquanto estava na Favela do Mauro para conseguir a arma, sua mãe, a empresária Vera de Macedo Pereira, proprietária de uma lavanderia da franquia 5 à Sec, chegou à casa da mãe e encontrou os corpos.Ela ligou para a polícia, que prendeu Gustavo e Adriano Campelo da Silva, de 25 anos, acusado de vender a droga ao rapaz, que confessou o crime no 27º Distrito Policial (Campo Belo). Cleide Ferreira da Silva, uma das vítimas, com o filho

Agencia Estado,

24 de novembro de 2002 | 21h18

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.