Estudante morto dentro de sala de aula é enterrado no Rio

Parentes, amigos e professores de Wesley participaram da cerimônia; colega do menino de 11 anos diz que 'não quer voltar para a escola'

CLARISSA THOMÉ, Agência Estado

17 de julho de 2010 | 12h27

O estudante Wesley Rodrigues de Andrade, de 11 anos, morto com um tiro de fuzil dentro de sala de aula, foi enterrado no fim da manhã de hoje no Cemitério de Irajá, na zona norte. Sobre o caixão, a família colocou a camiseta do São Paulo, time pelo qual o menino torcia.

 

Veja também:

linkComandante da PM-RJ é exonerado após bala perdida matar criança

mais imagens Galeria: Moradores queimam pneus em protesto

Parentes, professores e colegas de escola de Wesley estavam muito emocionados durante o velório. O menino Douglas, de 10 anos, contou que estava na sala, com Wesley, quando houve os disparos. Ele contou que ficou embaixo da mesa da professora. "Não quero voltar para a escola. Não quero mais estudar lá", disse o garoto.

Wesley e outras 30 crianças assistiam à aula de matemática quando houve confronto entre policiais do 9.º Batalhão (Rocha Miranda) e traficantes do Morro da Pedreira, em Costa Barros. Um tiro de fuzil atingiu Wesley no peito. Ele chegou a ser socorrido, mas morreu no caminho para o hospital. "Queremos alguém que nos explique o que aconteceu. Precisamos de alguma resposta", desabafou, durante o enterro, o vigilante Luis Carlos Freire, tio do menino. O comandante do batalhão, coronel Fernando Príncipe foi exonerado.

Tudo o que sabemos sobre:
violênciaRio de Janeiroestudante

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.