Estudante que sequestrou ônibus no Rio ficará em clínica psiquiátrica

Jovem saiu de uma festa à fantasia e roubou um ônibus na Barra da Tijuca

Marcela Bourroul Gonsalves, estadão.com.br

30 Setembro 2011 | 17h06

SÃO PAULO - A juíza Angélica dos Santos Costa, da 4ª Vara Criminal do Rio, converteu a prisão preventiva do jovem acusado de sequestrar um ônibus na zona oeste da cidade, em prisão domiciliar em uma clínica psiquiátrica.

A magistrada acolheu o pedido da defesa do estudante de direito Pedro Henrique Garcia de Souza Correia, preso em flagrante na manhã do dia 19 de setembro. Ele saiu de uma festa à fantasia e roubou um ônibus na Barra da Tijuca. O réu percorreu cerca de 20 km dirigindo o coletivo, foi perseguido por policiais e colidiu com pelo menos sete carros. Ele foi parado apenas em Botafogo, na zona sul.

O estudante responderá pela prática dos crimes de tentativa de homicídio, lesão corporal de natureza grave, lesão corporal, resistência à prisão e crime de dano na modalidade simples e qualificada.

A defesa alegou que o autor está sob atendimento psiquiátrico desde setembro de 2010, e, por isso, pediu que ele fosse transferido para uma clínica onde pudesse dar continuidade ao tratamento. Durante a prisão domiciliar, Pedro Henrique deverá utilizar tornozeleira eletrônica e ficará proibido de sair das dependências da clínica.

"Desse modo, entendo que melhor atende ao caso concreto a prisão domiciliar em clínica psiquiátrica, atendendo às circunstâncias dos fatos, condições pessoais do acusado, sem desconsiderar a gravidade do crime que a muitos atingiu, cuja responsabilidade será apurada durante o decorrer do processo", destacou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.