Estudantes do RJ protestam por passe intermunicipal

Estudantes de escolas públicas do Estado do Rio pararam o trânsito no início desta tarde, em três municípios da região metropolitana: Rio, Niterói e Duque de Caxias. Eles protestavam contra o fim do passe livre nos ônibus intermunicipais para alunos da rede pública, maiores de 65 anos e deficientes físicos. O benefício, concedido há dois anos por lei estadual, foi suspenso por uma liminar do desembargador Jorge Uchoa, dada à Federação de Transportes do Estado do Rio (Fetranspor). As manifestações foram pacíficas, mas em Niterói três menores foram detidos por desacato à autoridade. De acordo a Secretaria de Educação, o Estado do Rio tem 1,3 milhão de alunos na rede estadual, mas a Fetatranspor informa que, por dia, 5,8 milhões de passageiros se beneficiam do passe livre. Segundo os estudantes, a suspensão cria uma despesa diária entre R$ 2,40 e R$ 4,00 para cada um. É o caso de duas alunas do Instituto de Educação, que vêm todo dia de Madureira até a Tijuca assistir às aulas. "Sem o passe a gente vai ter que parar de estudar", reclamavam. Três alunos da escola Adolpho Bloch, no centro, também contabilizavam o prejuízo. "A gente vem de São João do Meriti, de ônibus e barca. Fica em mais ou menos R$ 2,00 por dia", disse um deles.O deputado estadual Carlos Minc (PT), co-autor do projeto do passe livre com o presidente da Assembléia, Sérgio Cabral (MPDB), explicou que o benefício vale para ônibus, metrô, trem e barca. "Só os ônibus entraram com recurso, mas eles detêm 88% dos passageiros. A situação deve se reverter porque não se toma um direito concedido", explicou. "Vamos entrar com um recurso aqui no Rio, contra o mérito da liminar, e no Supremo Federal , em Brasília, porque só poderia ter sido concedida em reunião de todos os 25 desembargadores."No centro do Rio, a manifestação começou por volta das 12 horas, na Rua 1º de Março, a principal via de acesso dos ônibus que vêm da zona sul para os bairros do centro. Segundo a Polícia Militar, eram cerca de 1.500 estudantes e alguns idosos, que foram até as escadarias da Câmara Municipal, na Cinelândia, onde a multidão se dispersou no meio da tarde. A polícia acompanhou de longe, mas não interveio. "Não se entra em confronto com os adolescentes", disse o comandante do 13º Batalhão, tenente-coronel Sidney Coutinho Teixeira. "Eles são pacíficos e atenderam ao nosso pedido de desimpedir a rua."Em Niterói, o número de manifestantes foi calculado em duas mil pessoas, vindas de municípios vizinhos. Elas sairam da Rodoviária e foram até Avenida Amaral Peixoto, próximo à estação das barcas. O engarrafamento se estendeu aos acessos da cidade, inclusive à ponte Rio-Niterói. Em Duque de Caxias, mais dois mil estudantes foram para a frente do Forum, no centro da cidade, mas não houve incidentes.

Agencia Estado,

05 de julho de 2002 | 18h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.