Estudantes hostilizam colega por fotos de sexo

A universitária F. F., de 24 anos, estudante de Direito na Fundação de Ensino Eurípedes Soares da Rocha, em Marília, a 450 quilômetros de São Paulo, teve de ser retirada pela Polícia Militar de dentro da sala de aula depois que fotos íntimas suas foram divulgadas na internet.Nas imagens, distribuídas por e-mail e disponibilizadas no Orkut e em blogs, F., filha de um conhecido advogado da região, aparece fazendo sexo com dois homens ao mesmo tempo. As fotos foram divulgadas até na cantina da escola. Depois, foram colocadas no Orkut, com endereços eletrônicos e telefones da moça e do namorado.Em menos de 24 horas, mais de 10 mil mensagens contra os dois foram registradas no site de relacionamento. Depois da divulgação, a universitária, familiares, amigos e seu namorado (que não aparece nas fotos) passaram a ser alvo de ofensas por telefone, e-mails e até pessoalmente.Na noite de quarta-feira, ao entrar na faculdade, F. foi ofendida e ameaçada por colegas de diferentes cursos, o que provocou tumulto no pátio da faculdade. Para impedir que F. fosse agredida, um dos professores a trancou em uma sala de aula e chamou a Polícia Militar. Os policiais chegaram em cinco viaturas e foram obrigados a usar gás pimenta para desfazer o tumulto, que chegou a suspender as aulas.SilêncioNesta segunda, ninguém quis falar sobre o assunto na Fundação. Uma funcionária do setor de marketing, que se identificou como Ana, disse apenas que a escola não deverá tomar nenhuma atitude, "pois trata-se de um caso particular". Até o início da noite, a faculdade não havia enviado uma nota oficial.Os familiares da moça conseguiram, no sábado, retirar os profiles do Orkut e o conteúdo dos sites e blogs. Um amigo de F. disse que o pai da jovem vai processar os responsáveis pela divulgação das fotos por calúnia, difamação, violação de privacidade, constrangimento ilegal e ameaça.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.