Estudantes jogam galinha preta na prefeita Marta

A prefeita de São Paulo, Marta Suplicy, enfrentou hoje um dos protestos mais agressivos contra ela em sua administração. Durante evento em comemoração aos 100 anos do Centro Acadêmico XI de Agosto, na Faculdade de Direito do Largo São Francisco, em São Paulo, estudantes atiraram uma galinha preta viva em direção à prefeita. A ave não chegou a atingi-la, mas deixou Marta visivelmente constrangida e irritada.Alguns dos universitários do curso de Direito presentes ao evento também tiraram notas de R$ 1 e R$ 10 de seus bolsos e acenaram quando a prefeita foi chamada para discursar. Aos gritos, os estudantes chamavam a prefeita de "Martaxa", apelido dada a ela por conta da criação de várias taxas municipais, entre elas a do lixo. Antes de iniciar seu discurso, Marta afirmou: "Estou surpresa. É a primeira vez que levo vaia aqui. Diretor a gente geralmente é contra, mas prefeito nem sempre", afirmou ela, referindo se a uma das vaias que um dos diretores da faculdade levou minutos antes do protesto feito contra ela. A prefeita continuou e explicou aos estudantes que tinha comparecido ao evento para prestigiá-lo e chamou o universitário que atirou a galinha contra ela para conversar. "Vem aqui conversar, aqui é o centro da democracia, vem me falar porque você está bravo", disse ela ao estudante Ernest Hellmuth, de 18 anos, aluno do primeiro ano do curso de Direito. O universitário, por sua vez, tentou falar mas foi interrompido por uma das diretoras do Centro Acadêmico que pediu desculpas à prefeita e classificou o protesto como um ato de desrespeito.O mal estar instalado por conta do manifestação fez com que a prefeita deixasse a cerimônia antes do término. Na saída, disse ter ficado surpresa, mas afirmou que após detectar quem havia promovido o protesto entendeu. "Sempre surpreende, mas depois vi que era uma base firme do PSDB. E aí o que vai fazer? Eles estão aí, estudante é isso, democracia é isso, mas foi um ato de total motivação política", afirmou a prefeita, que deverá se candidatar à reeleição nas eleições municipais do ano que vem..Marta recomendou aos estudantes que aprendam que não é assim que a política funciona. "Eles têm de aprender que não é assim que funciona politicamente, principalmente em um lugar como este, que é símbolo da democracia e da luta contra o autoritarismo, que é o Centro XI de Agosto."Para o ministro Márcio Thomaz Bastos, o protesto contra a prefeita Marta passou dos limites: ?Seria como se algum homem estivesse falando e jogasse um veado lá dentro?.

Agencia Estado,

11 de agosto de 2003 | 13h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.