Estudantes viram reféns de pistoleiros

Um grupo de 12 universitários de Blumenau participante do programa Universidade Solidária foi cercado por pistoleiros na volta de uma visita a um acampamento de sem-terra, no final da semana passada, no município de Castanheiras, em Rondônia. A professora de psicologia da Universidade Regional de Blumenau, Catarina Gewehr, coordenadora do grupo, conta que por mais de meia hora os pistoleiros encapuzados apontaram pistolas e revólveres para eles e os acusavam de fornecer armas aos sem-terra, além de pertencerem à Comissão Pastoral da Terra (CPT). Somente teriam se convencido do contrário após revistar a bagagem dos estudantes. Os universitários viajavam em um ônibus escolar, cedido pela prefeitura de Castanheiras. Com eles, estavam também a secretária de saúde do município que teve uma arma colocada contra sua cabeça quando se identificou, conforme relato da professora. Era início de noite, quando o ônibus foi fechado por uma moto, uma Toyota e uma D-20. Catarina contou 13 homens, a maioria encapuzada, e um deles, descrito posteriormente na cidade, seria o gerente da fazenda invadida pelos sem-terra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.