Estudantes voltam às ruas da Bahia e brigam entre si

Grupos de estudantes secundaristas entraram em conflito, na manhã de hoje, durante mais uma manifestação em que pediam a redução do preço da tarifa de ônibus de R$ 1,5 para R$ 1,3. Soldados da Polícia Militar que normalmente são chamados para reprimir manifestações, tiveram de intervir para apartar a briga, que ocorreu na Praça da Piedade, centro da capital baiana.Desde o início do movimento, os secundaristas rejeitaram a participação de partidos políticos e sindicatos nos atos. Hoje, membros de sindicatos ligados à Central Única dos Trabalhadores, controlados na Bahia pelo PC do B, formaram um grupo de cerca de 200 militantes, que saiu da Praça do Campo Grande em direção à Praça Municipal, com bandeiras do PC do B, da Juventude Socialista e faixas pedindo a redução da tarifa. No meio do caminho na Praça da Piedade, cerca de 200 secundaristas que não seguem a liderança do PC do B, entraram em conflito com o primeiro grupo.Depois que as manifestações começaram em Salvador, no mês passado, os estudantes conseguiram da prefeitura vários benefícios, como a extensão do passe escolar para os finais de semana e todos os meses do ano, mas não obtiveram a redução do valor da passagem. Uma reunião com 12 prefeitos de capitais foi realizada em Salvador no final de setembro, concluindo que a tarifa poderia ser baixada se o governo federal reduzisse o preço do óleo diesel em 50% para o sistema de transporte coletivo, mas o Planalto não respondeu até o momento à reivindicação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.