Estuprador brasileiro é condenado a 326 anos na Espanha

O brasileiro Juvenilson Dias da Silva, de 34 anos, conhecido na Espanha como o estuprador de Pozuelo (periferia de Madri), foi condenado nesta quinta-feira, 22, pela Justiça espanhola a 326 anos de cadeia por violentar e roubar 19 mulheres. A sentença judicial é a pena máxima pedida pela promotoria no último dia 5 e inclui uma indenização de 615 mil euros (cerca de R$ 1,8 milhão) para as vítimas. Juvenilson Dias da Silva confessou ao juiz que agrediu as 19 mulheres, algumas menores de idade, e tentou atacar outras três, que conseguiram escapar. Cruel e violentoUm dos estupradores em série mais perigosos da história da Espanha, segundo um perfil psicológico apresentado pela promotoria, o brasileiro foi definido por um psiquiatra como "extremamente cruel e violento".Juvenilson Dias da Silva cometeu seus crimes entre os anos 2000 e 2003, sempre da mesma maneira. Esperava as mulheres durante o dia ou ao cair da tarde na porta do metrô.Com uma faca ou punhal junto ao pescoço, forçava as vítimas a irem a algum lugar deserto e ali as violentava. Depois roubava seus pertences.Vida "normal" Ele foi preso em 2003 depois de ser reconhecido com um retrato falado. Uma das vítimas que conseguiu escapar foi à delegacia e Juvenilson Dias acabou sendo reconhecido na rua, já que levava uma vida "normal", como descreveram testemunhas brasileiras que o conheciam na Espanha.O estuprador era considerado tímido, calado, com vida social entre os brasileiros e tinha emprego fixo. O réu confessou ante o juiz ser o culpado por todos os crimes pelos que era acusado, pediu perdão às vítimas e disse que quer ser tratado por psiquiatras quando estiver preso.Muitas das mulheres agredidas por ele solicitaram ao tribunal para não acompanhar o julgamento, que durou 17 dias, para evitar terem de ver o agressor. Puderam depor com a identidade protegida e sem serem vistas pelo brasileiro.Prisão máxima de 30 anosApesar da condenação de 326 anos, Juvenilson Dias poderá ficar preso no máximo por 30 anos, de acordo com a legislação espanhola. Pela sentença desta quinta, quando for solto, o criminoso brasileiro estará proibido de se aproximar de suas vítimas durante outros cinco anos. Em caso de qualquer denúncia de alguma das mulheres que atacou, Juvenilson Dias voltará para a cadeia imediatamente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.