''Eu estou com a consciência absolutamente tranquila''

Carvalho sustenta ainda não ter sido citado, mas diz que já se manifestou sobre o caso várias vezes, inclusive em CPI

, O Estado de S.Paulo

23 Outubro 2010 | 00h00

O chefe de gabinete do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Gilberto Carvalho, disse ontem ao Estado que a Justiça de Santo André já enviou carta precatória à Justiça do Distrito Federal, mas que ele ainda não foi citado. "Meu advogado está preparando minha defesa", disse Carvalho.

O homem de confiança do presidente Lula afirmou que já se manifestou sobre o caso publicamente várias vezes. "Já falei também por duas vezes a uma CPI e ao Ministério Público", disse. "Eu estou com a consciência absolutamente tranquila." Gilberto Carvalho foi ouvido pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Bingos aberta no Senado em 2005.

O Estado procurou ontem o advogado do PT no caso, Luiz José Bueno de Aguiar. Deixou recado com a secretária, mas não houve resposta até o fechamento da edição.

Satiagraha. O nome de Gilberto Carvalho também apareceu ao longo da Operação Satiagraha, da Polícia Federal, em 2008. À época, o chefe de gabinete de Lula foi acusado de tráfico de influência. Carvalho teria sido procurado pelo advogado e ex-deputado Luiz Eduardo Greenhalgh, apontado como lobista do grupo do banqueiro Daniel Dantas. Em 29 de maio, Greenhalgh conversou com Gilberto Carvalho, que lhe prometeu ajuda para obter informações sigilosas na Polícia Federal sobre o inquérito contra Dantas. Carvalho negou tráfico de influência.

Conselheiro de Lula, Gilberto Carvalho já foi secretário-geral do PT e secretário de Comunicação e Governo da Prefeitura de Santo André. No ano passado, foi cotado para presidir o partido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.