EUA doam US$ 6,4 mi para combater tráfico no Brasil

O governo americano doará US$ 6,4 milhões para o Brasil aplicar em ações antidrogas no País. A embaixadora dos Estados Unidos no Brasil, Donna Hrinak, alertou que países de trânsito de drogas, como é o caso do Brasil, acabam sendo vistos pelos narcotraficantes como potenciais consumidores. Ela admitiu ser difícil vencer a guerra contra os traficantes apenas injetando mais recursos financeiros. É preciso trabalho de inteligência policial e de solidariedade entre os países. A embaixadora disse que os narcotraficantes possuem equipamentos sofisticados, aviões e dinheiro. "Nunca vamos ganhar se tentarmos competir em dinheiro e equipamentos", resumiu. Donna assinou hoje com o ministro das Relações Exteriores, Celso Lafer, adendo ao Acordo de Cooperação Mútua Brasil-EUA para a Redução da Demanda, Prevenção do Uso Indevido e o Combate à Produção e ao Tráfico Ilícitos de Entorpecentes prevendo o recurso extra. Donna ressaltou a importância de programas de prevenção ao uso de drogas, porque ao reduzir a demanda se consegue cortar os fundos financeiros dos traficantes. Lafer acusou os traficantes de serem "perversos" por investirem em grupos mais vulneráveis da sociedade, a exemplo dos jovens, na conquista de novos consumidores. O ministro explicou que o Brasil está investindo na municipalização das ações de prevenção, na repressão à lavagem de dinheiro, no controle do tráfego aéreo no Pará para cortar os suprimentos de drogas para os grandes centros urbanos do País. E uma das armas poderosas é o Sistema de Vigilância da Amazônia (Sivam) que entrou em operação este mês. "O Brasil não é produtor, mas seu imenso território é usado como rota alternativa de trânsito das drogas para a Europa e a América do Norte", declarou o ministro. Segundo Lafer, o tráfico de drogas não respeita fronteiras e o Brasil necessita da ajuda financeira internacional para conter a expansão deste crime no País. Do total dos recursos liberados pelo governo americano para o Brasil, US$ 750 milhões serão destinados à Coordenação-Geral de Prevenção e Repressão a Entorpecentes do Departamento da Polícia Federal. A Secretaria Nacional Antidrogas do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República receberá US$ 457 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.