EUA não revêem classificação de segurança aérea do Brasil

A Agência Federal de Aviação dos Estados Unidos diz que País cumpre padrões internacionais de aviação civil

Patrícia Campos Mello, do Estadão,

20 Julho 2007 | 20h17

A Agência Federal de Aviação dos Estados Unidos (FAA, na sigla em inglês) não está revendo a classificação de segurança do Brasil por causa do acidente com o Airbus da TAM em Congonhas, ocorrido na terça-feira, informaram representantes ao Estado.   O Brasil tem atualmente a nota 1, indicando que o País cumpre os padrões da Organização Internacional de Aviação Civil (Icao). A classificação não leva em conta a situação de aeroportos específicos ou cada uma das companhias aéreas, avalia apenas se o país segue os padrões da Icao.   Belize, República do Congo, Gâmbia, Paraguai e Uruguai são alguns dos países que têm a classificação 2 da FAA, ou seja, não são considerados seguros e estão sujeitos a restrições - como escalas em vôos - e são impedidos de aumentar o números de vôos para os EUA.   A FAA é a agência reguladora oficial da aviação civil nos Estados Unidos. Parte do Ministério dos Transportes do país, ela é responsável, entre outras, de desenvolver e introduzir novas tecnologias aeronáuticas nos aviões civis, criar programas de prevenção a danos ambientais causados pelas aeronaves e, principalmente, cuidar da segurança dos céus norte-americanos.

Mais conteúdo sobre:
Vôo 3054

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.