SERGIO DUTTI/AE-18/9/2008
SERGIO DUTTI/AE-18/9/2008

Ex-assessor de Dilma tem negócio com estatal

Contratos de Ibanês Cássel, diretor de Gestão Corporativa da Empresa de Pesquisas Energéticas, com a Petrobrás passam de R$ 500 mil

, O Estado de S.Paulo

09 Outubro 2010 | 00h00

Ibanês César Cássel, diretor de Gestão Corporativa da Empresa de Pesquisas Energéticas (EPE), braço do Ministério de Minas e Energia, é sócio da Capacità Eventos Ltda e assinou dois contratos, em 2008, entre sua empresa e a Petrobrás no valor total de R$ 538.755.65. Um deles, na soma de R$ 100 mil, foi fechado sem licitação. As informações são do jornal O Globo.

Segundo o diário fluminense, Cássel tem laços profissionais estreitos com a presidenciável do PT, Dilma Rousseff. Foi diretor administrativo da Companhia Estadual de Energia Elétrica do Rio Grande do Sul sob comando de Dilma, que chefiava a Secretaria de Energia, Minas e Comunicações do Estado. Em 2005, assumiu a diretoria da EPE a convite da petista, que era ministra de Minas e Energia.

Um dos contratos entre a empresa de Cássel e a Petrobrás, informa o jornal, tem o valor de R$ 438.755,65. A Capacità Eventos ficou responsável pela inauguração da plataforma P-53, em 18 de setembro de 2008 na cidade de Rio Grande (RS). Nesse caso, a licitação foi feita por meio de carta-convite.

O segundo contrato, continua o diário fluminense, foi para o patrocínio do evento "Porto Alegre - Uma visão de futuro", da Câmara Municipal da capital gaúcha, e foi assinado sem licitação no valor de R$ 100 mil, sob as regras do decreto 2745 de 1998, que a eximiu de abrir concorrência pelo serviço.

Em resposta ao jornal, Cássel disse ter 1% de participação na empresa e, por isso, não teria ingerência nos contratos da Capacità Eventos. A sócia majoritária é a mulher de Cássel, Eliana Azeredo, com 99% de participação.

Trâmites legais. Ontem, por meio de nota, a Capacità Eventos negou irregularidades nos contratos. A nota da empresa de Cássel e de sua mulher refere-se a outra nota, divulgada pela Petrobrás, na qual a estatal sustenta que o contrato para o batismo da P-53 foi feito por licitação, em que participaram seis empresas. A Capacità Eventos, afirma a Petrobrás, venceu por apresentar o menor preço.

Sobre o evento na Câmara de Porto Alegre, a Petrobrás destacou que os patrocínios são firmados por contratação direta, por inexigibilidade de licitação. E narra outros dois contratos com a Capacità Eventos: para estande na Jornada Literária de Passo Fundo, em 2007, com processo licitatório, e de patrocínio da Conferência Mundial sobre o Desenvolvimento de Cidades, em Porto Alegre, em 2008.

Em nota assinada pela diretora Eliana Azeredo, a Capacità afirma que começou a disputar licitações relacionadas ao governo federal em 2006 e lembra que, em 160 participações, foi a vencedora de somente nove concorrências. "A empresa, em uma década e meia de existência, nunca respondeu a qualquer processo judicial", diz. / COLABOROU ELDER OGLIARI

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.