Ex-assessor de Dirceu ganha cargo em município do Rio

Derrotado nas urnas, Sereno será secretário de Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Petróleo de Maricá

Bruno Boghossian / RIO, O Estado de S.Paulo

12 Novembro 2010 | 00h00

Derrotado nas urnas na disputa por uma vaga na Câmara dos Deputados, Marcelo Sereno (PT-RJ), ex-assessor especial de José Dirceu na Casa Civil, foi nomeado secretário de Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Petróleo de Maricá, na Região dos Lagos fluminense. O município espera ter um salto na arrecadação de royalties nos próximos anos, podendo receber cerca de R$ 240 milhões por ano com a exploração de petróleo na Bacia de Santos.

Sereno foi empossado ontem pelo prefeito Washington Quaquá (PT), mas informou que não vai comentar sua nomeação para o cargo. Segundo sua assessoria de imprensa, o novo secretário foi escolhido pela experiência na área da administração pública.

De acordo com a Prefeitura de Maricá, o secretário de Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Petróleo tem o papel de "buscar investimentos privados para o município e apresentar as potencialidades da cidade em diversos âmbitos". A expectativa de políticos locais é de que Sereno aproveite seus contatos com o governo federal para beneficiar o município.

Além de ter sido assessor de Dirceu, Sereno é economista, integrou a Central Única dos Trabalhadores (CUT), participou do governo de Benedita da Silva, no Rio, em 2002, e foi secretário de Comunicação do PT, em 2005.

O novo secretário é uma das testemunhas de defesa do ex-ministro e deputado cassado José Dirceu no processo do mensalão, em andamento no Supremo Tribunal Federal (STF). Ele chegou a ser citado pelo então deputado Roberto Jefferson (PTB), em entrevistas, como um dos envolvidos no esquema de pagamento de mesadas a parlamentares em troca de apoio ao governo no Congresso, mas não se tornou réu na ação.

O município de Maricá tem Orçamento de R$ 270 milhões previsto para 2011, mas o valor não inclui os R$ 240 milhões (R$ 20 milhões por mês) em repasses referentes à exploração de petróleo da camada pré-sal.

Atualmente, Maricá recebe R$ 36 milhões por ano em royalties. Os novos recursos deverão ser investidos em projetos de infraestrutura, saneamento e habitação. Com o apoio de Dirceu, Sereno se candidatou a deputado e recebeu 39.948 votos, mas não se elegeu. Em Maricá, conquistou o apoio de apenas 72 eleitores - o equivalente a menos de 0,2% do total de seus votos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.