Ex-cirurgião plástico é condenado a indenizar paciente

O ex-médico Denísio Marcelo Caron foi condenado a pagar indenização de R$ 88 mil por danos morais e materiais a Marlene Maria Alves uma das ex-pacientes que apresentou seqüelas após ter se submetido a cirurgia plástica. A sentença foi determinada pelo juiz Gerson Santana Cintra, da 11ª Vara Cível de Goiânia, na segunda-feira. No final do ano passado, o Conselho Federal de Medicina cassou o registro profissional de Caron, impedindo-o de exercer a medicina. Esta foi a primeira decisão judicial que obriga Caron a indenizar uma de suas ex-pacientes. Em sua justificativa, o juiz considerou as outras denúncias de seqüelas e a acusação de ter provocado a morte de cinco mulheres atribuídas a Marcelo Caron. O médico começou a ser investigado com a morte de Vera Lúcia Teodoro, em março de 2000. Após este caso, foram denunciadas as mortes de outras quatro mulheres que se submeteram a cirurgias estéticas com Caron. Em setembro do ano passado, pacientes que ficaram com seqüelas começaram a fazer cirurgias reparadoras no Hospital Geral de Goiânia. Ele chegou a ficar preso três dias, mas obteve um habeas corpus.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.