Ex-comissário de bordo condenado por estupros no Pará é preso no RJ

Crimes praticados por Januário aconteceram em 2009, quando ele trabalhava em uma companhia aérea

estadão.com.br,

24 Novembro 2011 | 11h10

SÃO PAULO - O ex-comissário de bordo Januário dos Santos Palheta Neto, 53 anos, condenado a mais de 15 anos de prisão pela Justiça do Pará por estupro de duas crianças de 10 e 11 anos, foi preso no último sábado, 19, na Ilha do Governador, no Rio. O condenado chegou a Belém na madrugada de quarta-feira, 23, sob escolta de policiais civis. Ele ficará recolhido à disposição da Justiça paraense.

Os crimes praticados por ele aconteceram em 2009, quando ele trabalhava em uma companhia aérea. Conforme as investigações, o ex-comissário de bordo identificava-se como professor de inglês e de matemática para se aproximar das vítimas.

Januário foi localizado e preso por policiais civis da Divisão de Atendimento ao Adolescente (Data), no município de Niterói, ano passado. Ainda no mesmo ano, ele foi colocado em liberdade provisória por habeas corpus. Januário foi sentenciado a mais de 15 anos de prisão, mas fugiu para o Estado do Rio. Ele era investigado havia dois meses.

O cumprimento da prisão de Januário aconteceu em uma igreja católica do bairro da Ilha do Governador, onde era instrumentista em um conjunto musical e coordenador do coral religioso da paróquia. A prisão dele foi feita em conjunto com policiais da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), do Estado do Rio de Janeiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.