Ex-coordenador da Lei Seca tem prisão preventiva decretada no Rio

Ele atropelou 4 pessoas e foi denunciado por homicídio doloso, lesão corporal e omissão de socorro

Priscila Trindade, estadão.com.br

14 Outubro 2011 | 18h47

SÃO PAULO - A Justiça do Rio de Janeiro decretou a prisão preventiva de Alexandre Felipe Vieira Mendes, ex-subsecretário estadual do Governo e ex-coordenador da Lei Seca, que atropelou quatro pessoas na noite do último dia 25 de agosto, em Niterói, no Rio. A informação foi divulgada nesta sexta-feira, 14.

 

Nesta semana, o Ministério Público do Rio ofereceu denúncia contra Mendes por homicídio doloso, lesão corporal e omissão de socorro. De acordo com a denúncia, distribuída à 3ª Vara Criminal, Mendes dirigia um veículo Pajero, em "ziguezague", quando atropelou Silvana Braga de Souza e seus dois filhos, de 5 e 2 anos, em Itaipu, Niterói. Na mesma noite, o denunciado atropelou Ermínio Costa Pereira, de 58 anos, que morreu de politraumatismo e traumatismo cranioencefálico.

Em sua decisão, o juiz da 3ª Vara Criminal de Niterói, Peterson Barroso Simão, considerou a prisão preventiva necessária por ter havido, por parte do ex-secretário, tentativa de intimidação dos policiais militares que atenderam à ocorrência e por haver o risco de que essa intimidação continue durante o processo, comprometendo os depoimentos que serão colhidos.

"Em liberdade, o denunciado poderia fazer o que já fez: solicitar recursos da máquina pública tal como ocorreu ao chamar o caminhão reboque, bem como influenciar a colheita de provas por conta própria ou de terceiros." Após o atropelamento, servidores tentaram retirar o veículo do acusado do local do crime com o reboque destinado à Operação Lei Seca.

Para decretar a prisão, a Justiça também levou em consideração o fato do denunciado 'visivelmente embriagado' dirigir seu veículo atropelando três pessoas de uma mesma família. Ele fugiu sem prestar socorro. Em seguida, atropelou a quarta vítima, que morreu.

O juiz Peterson Simão destacou ainda que o Judiciário não pode ser menos rigoroso quando as vítimas são pessoas simples e humildes, pois sabe que o valor da vida humana é igual para todos.

Mais conteúdo sobre:
lei secaRJprisão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.