Ex-deputado é acusado de omissão de socorro em acidente com 2 mortos

O ex-deputado estadual do Paraná e ex-prefeito de Nova Londrina, no noroeste do Estado, Arlindo Adelino Troian, de 72 anos, envolveu-se em um acidente no dia 3, na entrada de Paranavaí, a cerca de 500 quilômetros de Curitiba, que resultou na morte de duas pessoas. A polícia investiga possível omissão de socorro. Ele responderá em liberdade a inquérito por duplo homicídio culposo (sem intenção). A carteira de habilitação dele venceu no dia 26 de junho e está dentro do prazo de um mês para renovação. A Saveiro dirigida pelo ex-deputado teria cruzado inadvertidamente a pista da BR-376 e atingido uma camionete. Com o choque, o segundo veículo capotou e dois dos três ocupantes foram lançados a uma distância de 40 metros. O mecânico Claudinei Celso da Fonseca, de 35 anos, morreu no local, e seu colega Emerson de Andrade Júnior, de 28, morreu no hospital. Nicanor Ribeiro, único que estaria com o cinto de segurança, feriu-se sem gravidade. O ex-deputado abandonou o carro no local do acidente. Quando fizeram buscas no interior do veículo, policiais encontraram um telefone celular e alguns papéis que levaram a polícia a identificar Troian. Ontem à tarde, o ex-deputado prestou depoimento. Ele disse que parou no trevo e não viu nada, por isso teria entrado na rodovia. Troian também negou a omissão de socorro. Ele disse que ficou atordoado com o acidente e, quando pegou uma carona, policiais já prestavam socorro às vítimas. Este é o segundo acidente envolvendo políticos em pouco tempo no Paraná. No dia 7 de maio, o então deputado estadual Fernando Ribas Carli Filho decolou com um Passat e atingiu um Fit. Dois jovens morreram na hora. Fora de perigo, Carli Filho espalhou cartazes por Guarapuava agradecendo a Deus pela vida.

Evandro Fadel, CURITIBA, O Estadao de S.Paulo

10 Julho 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.