Ex-deputado que atropelou e matou 2 tem alta, em SP

O ex-deputado estadual do Paraná Luiz Fernando Ribas Carli Filho, de 26 anos, recebeu alta do Hospital Albert Einstein, em São Paulo, no sábado. O ex-parlamentar foi transferido de Curitiba para São Paulo, no dia 10 de maio, após se envolver em um acidente de carro que provocou a morte de dois jovens: Gilmar Rafael Souza Yared, de 26, e Carlos Murilo de Almeida, de 20. Parentes das vítimas temem que Carli Filho fuja do País. Amostras de sangue colhidas pelo Instituto Médico-Legal (IML) de Curitiba no dia do atropelamento, 7 de maio, indicam que o ex-deputado dirigia embriagado."Carli saiu de Curitiba bem. Tinha ferimentos no rosto, mas estava em condições de depor. Poderia ter se apresentado na delegacia desde o primeiro dia", diz Elias Assad, advogado da família Yared. Boletim médico divulgado pelo hospital afirma que Carli Filho passou por cirurgia de correção das fraturas da face e crânio sofridas na batida. Assad desconfia da internação na capital. "Ele foi ardilosamente internado como vítima. A saída de Curitiba foi estratégica. Carli não quer se defender, quer fugir."Ontem, Assad protocolou na Delegacia de Serviços de Trânsito (Dedetran), em Curitiba, um requerimento pedindo o indiciamento do ex-deputado e, caso ele não se apresente espontaneamente para depor em breve, pedindo que tenha a prisão preventiva decretada.A reportagem tentou falar com o advogado e com o pai de Carli Filho, Fernando Ribas Carli, prefeito de Guarapuava (PR), mas não teve resposta. Como renunciou ao mandato, Carli Filho evitou a sindicância aberta pela Corregedoria da Assembleia Legislativa, que poderia resultar em cassação - agora vai poder se candidatar na próxima eleição. Sem o mandato que lhe garantia foro privilegiado, o processo vai para a Justiça comum. O Ministério Público do Paraná diz que, até o momento, ouviu 26 pessoas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.