Ex-dirigentes do Incra têm bens bloqueados

A Justiça determinou o bloqueio de R$ 296 mil das contas bancárias de cada uma das cinco pessoas denunciadas pelo Ministério Público Federal por improbidade administrativa em Mato Grosso do Sul. Entre eles estão dois ex-dirigentes do Incra no Estado - o ex-superintendente Luiz Carlos Bonelli e seu substituto, Valdir Perius -, além do ex-presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura de MS Geraldo Teixeira de Almeida.

, O Estado de S.Paulo

14 Setembro 2011 | 00h00

Segundo a denúncia, eles teriam realizado transferências irregulares de uma área de 30 mil metros quadrados no Assentamento Teijin, em Nova Andradina (MS). Em 2007, o Incra autorizou, em caráter provisório, a ocupação do terreno pela Fetagri, que cedeu metade da área para Ari Inéia em troca da construção de um galpão. Posteriormente, a área foi cedida para Cleito Inéia e André Bender, que construíram uma churrascaria no local. Eles também foram afetados pela decisão e terão as contas bloqueadas.

De acordo com o Ministério Público, as transferências e autorizações de uso da área não seguiram o procedimento formal e contrariam a legislação, que veda uso particular de áreas públicas. O MPF diz ainda que o Incra não acompanhou a destinação dada à área e não fiscalizou o uso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.