Ex-funcionário de estatal é condenado a 98 anos de prisão por chacina na BA

Em março de 2007, três mulheres e duas crianças foram mortas na cidade de Itajuípe; réu era amante de uma das mulheres e assassinato seria 'queima de arquivo'

Tiago Décimo, O Estado de S. Paulo

16 de setembro de 2010 | 15h34

SALVADOR - O ex-funcionário da Petrobras José Américo Reis Filho, de 56 anos, foi condenado, na noite desta quarta-feira, 16, a 98 anos e seis meses de prisão, pelo Tribunal do Júri de Itajuípe (BA), 418 quilômetros ao sul de Salvador. Reis era acusado de ser o mandante de uma chacina ocorrida em março de 2007 no município, que teve como vítimas três mulheres e duas crianças. Apesar de negar participação no crime, ele foi condenado por cinco homicídios duplamente qualificados.

 

A decisão foi tomada duas semanas depois de os acusados como executores do crime, Anderson Gonçalves dos Reis, de 27 anos, e Alex de Paula Silva, de 26, serem condenados a 102 anos e a 100 anos e 8 meses de prisão, respectivamente.

 

Segundo o inquérito, Reis Filho era amante de uma das mulheres e pai de um dos meninos mortos. Ele teria planejado o assassinato da mulher porque ela sabia de supostas fraudes que ele cometia contra a Petrobras, onde trabalhava na época do crime. Para executar os crimes, o mandante teria prometido aos executores, além de dinheiro, emprego na empresa e assessoria jurídica.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.