Ex-genro acusa Ivo Noal de montar cassinos em mansões de SP

O bicheiro Ivo Noal está sendo acusado pelo ex-genro, o engenheiro Flávio Oliva, de 52 anos, de montar cassinos em mansões do bairro do Morumbi, na zona sul de São Paulo, e de explorar o jogo de carteado, roleta, bacarat e black jack.Oliva levou militares na madrugada de hoje até a casa da Rua Carlos Oliveira Coutinho, 100, Morumbi, onde disse que havia um cassino funcionando.Antes de chamar a polícia, Oliva informou que marcara encontro com Noal na casa para resolver um problema que há algum tempo vem sendo discutido: a tutela do filho de 4 anos. Ao chegar, tentou entrar na residência e foi impedido. "Ouvi dois tiros que podem ter sido efetuados na minha direção."Alegou que a ex-mulher, filha do bicheiro, está querendo levar o menino para o exterior. Quando os militares entraram na residência encontraram mesas e material usado para jogo, mas não havia apostador. Tudo estava desarmado. O engenheiro explicou que o cassino funciona naquela casa há pelo menos dois anos.Decidiu denunciar porque a ex-mulher tentou fugir com o filho e por receber ameaças do bicheiro. "Ivo monta os cassinos que funcionam uma semana em cada lugar", afirmou. Com uma câmera fotográfica digital, Oliva entrou junto com os PMs e fotografou todas as dependências da casa fornecendo cópias das fotos para os jornalistas.No 89.º Distrito Policial, do Morumbi, o responsável pela mansão, Reginaldo Campos, apresentou um pedido de abertura de inquérito contra Oliva por "violação de domicílio". A delegada Iraci Medeiros Teixeira, no mesmo inquérito, vai apurar os disparos que teriam sido feitos contra o engenheiro.A versão de Oliva contra o ex-sogro foi reforçada por Edson Ambar, de 46, também ex-genro de Noal que também disse ser ameaçado. Procurado pela reportagem, Noal não respondeu aos chamados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.