TJMG
TJMG

Goleiro Bruno consegue progressão de pena e vai para o semiaberto

Ex-jogador, preso em 2010, foi condenado a 20 anos de prisão pela morte e pela ocultação do cadáver de Eliza Samúdio

Leonardo Augusto, especial para o Estado

19 de julho de 2019 | 09h55
Atualizado 19 de julho de 2019 | 18h40

BELO HORIZONTE - O ex-goleiro Bruno Fernandes vai voltar a cumprir sua pena em regime semiaberto, segundo decisão desta quinta-feira, 18, da 1.ª Vara Criminal e de Execuções Penais de Varginha, no sul de Minas Gerais, onde o ex-atleta está preso. O ex-jogador foi condenado a 20 anos e 9 meses de prisão pelo assassinato e ocultação do cadáver da modelo Eliza Samúdio, além de cárcere privado do menino Bruninho, filho dos dois.

A migração de regime foi possível porque a Justiça, em junho, anulou a falta grave que o ex-goleiro teria cometido em outubro, quando foi flagrado em bar ao lado de mulheres no momento em que deveria estar em trabalho externo. Bruno foi preso sob a acusação de homicídio em 2010. A mãe de Eliza, Sonia Moura, disse ao Estado que "quem comete um crime contra a vida deveria ter prisão perpétua"

Na decisão, o juiz Tarcisio Moreira de Souza afirmou que "o reeducando satisfaz as exigências subjetivas para a concessão da progressão de regime para o semiaberto, em especial pelo decote da imputação de falta grave, pois já cumpriu o lapso temporal necessário de pena imposta no regime fechado".

Os crimes foram cometidos em junho de 2010, quando Bruno era goleiro do Flamengo. As investigações apontaram que o jogador, com a ajuda de amigos, matou Eliza. O corpo da vítima nunca foi encontrado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.