Ex-líder de torcida do Internacional, Giba do Trem é executado no RS

Além dele, uma criança morreu e uma mulher está em estado grave; causa pode ser tráfico de drogas

O Estado de S. Paulo, O Estado de S.Paulo

07 de junho de 2017 | 21h43

Morreu nesta quarta-feira, 7, o ex-líder da torcida do Internacional, o Giba do Trem. Ele estava acomapnhado de uma criança, que também morreu e uma mulher, que está internada em estado grave. O veículo foi alvejado por cerca de 50 tiros enquanto estava em Sapucaia do Sul, região metropolitana de Porto Alegre. 

A mulher, que ainda não teve identidade divulgada, era a parceira de Giba e a mãe do menino, que tampouco foi identificado.

Segundo a delegada Carolina Terres, a causa do ataque é a guerra do tráfico. "A vítima tinha antecedentes", disse Carolina. A polícia informou que os tiros foram disparados por homens encapuzados, que estavam em duas caminhonetes. O crime aconteceu ainda à tarde na Avenida Sapucaia, área comercial da cidade. 

Suspeitos. No início da noite foi detido um suspeito de participar na execução de Giba do Trem, como era conhecido Gilberto Bittencourt Viegas. A prisão ocorreu em Cachoeirinha, onde os policiais encontram três suspeitos, mas dois conseguiram escapar. O Batalhão Militar apreendeu três veículos e uma pistola de 9mm, carregadores de fuzil, munição, miguelitos e uma camiseta da Polícia Civil.

Giba deixou a liderança da Guarda Popular, torcida do Internacional, em 2015, quando foi condenado por tentativa de homicídio após ser flagrado por câmeras enquanto espancava um jogador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.