Ex-mulher de líder do tráfico é executada no Rio

A portuguesa Liliana Alexandra de Araújo Marques, de 23 anos, ex-mulher do traficante Paulo César dos Santos Silva, o Linho, o criminoso mais procurado pela polícia fluminense, foi encontrada morta nesta quinta-feira, em São Cristóvão (zona norte do Rio). Seu corpo estava no porta-malas de um carro importado, na Quinta da Boa Vista. Liliana levou quatro tiros na cabeça. Para o secretário estadual de Segurança Pública, Anthony Garotinho, o assassinato indica que Linho, com quem ela tinha um filho, continua vivo. Há cerca de um mês e meio, quando Wagner dos Santos Silva, irmão de Linho, foi preso, ele afirmou à polícia que o bandido estaria morto. Uma das razões alegadas por Wagner para acreditar na morte do irmão, além de Linho estar há um ano sem fazer contato com a família, era o fato de que Liliana continuava viva apesar de ter um relacionamento com outro homem.Acusado de ter ligações com o tráfico de armas e de conexões com cartéis colombianos de drogas, Linho seria o chefe do tráfico em 12 favelas. Desde a rebelião de setembro de 2002 no presídio Bangu 1, que resultou na morte de Ernaldo Pinto de Medeiros, o Uê, e na aliança de Celso Luiz Rodrigues, o Celsinho da Vila Vintém, com a facção Comando Vermelho (CV), Linho passou a ser o principal líder da facção criminosa Terceiro Comando e o maior rival de Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, no mundo do crime.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.