Ex-mulher é acusada pelo assassinato de prefeito no PR

Além de Josiane Portes de Barros, outros dois suspeitos foram detidos pela polícia

Ricardo Valota, da Central de Notícias

05 de março de 2010 | 04h14

A polícia civil paranaense acredita ter esclarecido o assassinato do prefeito de Rio Branco do Sul (região metropolitana de Curitiba), Adel Rutz (PP), de 36 anos, ocorrido na noite de segunda-feira, 1, quando a vítima chegava em casa.

 

O total de R$ 25 mil foi o valor combinado para a morte do prefeito. A mandante do crime foi a ex-mulher da vítima, Josiane Portes de Barros, de 31 anos. A informação, divulgada no twitter do governador Roberto Requião, foi confirmada na quinta-feira, 4, pela polícia. Josiane foi presa no início da noite de quarta-feira, 3, em sua residência, após mandado de prisão.

 

Também foi detido Fábio Faria, que confessou ter disparado os dois primeiros tiros contra o prefeito. A polícia procura agora por Selmo dos Santos, 25, que dirigia uma das motos usadas no crime, e Daniel Geremias dos Santos, 27, que também atirou no prefeito. Josiane nega que tenha qualquer participação na morte do ex-marido.

 

Segundo a polícia, as conversas entre Josiane e os dois homens contratados para matar o prefeito começaram há cerca de 20 dias e o crime estaria ligado à separação do casal, que vinha brigando por causa dos valores que ficaram para cada uma das partes durante a partilha de bens.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.