Ex-parceiro de Abadia que era da PF é transferido no Paraná

Ex-vereador é acusado de carimbar os passaportes falsos usados pela quadrilha do traficante no Brasil

Miguel Portela, O Estado de S. Paulo,

26 de maio de 2009 | 17h28

O ex-policial federal e ex-vereador de Foz do Iguaçu (PR), Adilson Soares da Silva, acusado de integrar a quadrilha do megatraficante colombiano Juan Carlos Abadia, foi transferido nesta terça-feira, 26, para o quartel do Corpo de Bombeiros de Cascavel, no oeste do Paraná.

 

A transferência foi determinada em abril passado pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Adilson estava preso no Centro de Detenção e Ressocialização de Foz do Iguaçu, onde foi preso pela primeira vez, em 2007. Na época, ele trabalhava na Polícia Federal da cidade e foi acusado de carimbar os passaportes falsos dos integrantes da quadrilha de Abadia.

O ex-policial federal, que é também advogado, tem direito à prisão em Sala de Estado Maior. A Secretaria de Segurança Pública do Paraná indicou o Corpo de Bombeiros de Cascavel para abrigá-lo. No local não há policiamento e nem segurança, uma vez que os bombeiros não utilizam armas. Ele está recolhido numa sala com banheiro, chuveiro e cama, e recebe três refeições diárias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.