Reprodução/Google Street View
Reprodução/Google Street View

Ex-pastor é suspeito de fazer sequestros no PR e SC

Ronei Goes Camargo e o comparsa Dhonata Marques dos Santos são investigados por suposta ligações com o crime organizado

Julio Cesar Lima, Especial para O Estado

20 de julho de 2018 | 01h23

O ex-pastor evangélico Ronei Goes Camargo, preso no dia 12, juntamente com outro comparsa, Dhonata Marques dos Santos, liderava uma quadrilha responsável pelo sequestro de gerentes de bancos no Paraná e Santa Catarina. O grupo é suspeito de ter ligações com o crime organizado do Rio e de Santa Catarina.

Segundo o delegado-chefe do grupo de elite Tigre, Luiz Fernando Artigas, o grupo agia por meio de uma pessoa que anotava a rotina das futuras vítimas. Após entrarem nas casas, eles faziam torturas psicológicas e mantinham as famílias em cárcere privado. Pela manhã, o líder acompanhava o gerente até o banco e liberava os familiares somente depois da entrega do dinheiro ao grupo. 

Nos morros. Depois do roubo a um banco de Jaguariaíva, no interior do Paraná, o ex-pastor Ronei Goes Camargo viajou ao Rio de Janeiro, foi recebido por representantes de facções nos morros cariocas, e voltou ao Paraná com um veículo Pajero, comprado com o dinheiro roubado.

Mais conteúdo sobre:
sequestroRonei Goes Camargo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.