Ex-PM é condenado a 14 anos por morte de estudante

O ex-policial militar Clécio Barbosa Aires, 30 anos, foi condenado na noite desta quarta-feira a 14 anos de reclusão em regime fechado pela morte do estudante de jornalismo Thomas Schwarzenberg Vicente. A decisão foi proferida pela juíza Ariana Consani Geronimo após quase 12 horas de julgamento no Fórum de Cubatão, na Baixada Santista. Tanto a defesa quanto a promotoria vão recorrer da sentença. O crime aconteceu no dia 29 de agosto de 2004, no quilômetro 51 da Imigrantes, quando o jovem paulistano, na época com 20 anos, retornava para casa com dois amigos da faculdade Mackenzie, onde estudava, após ter passado o final de semana em Guarujá. De acordo com a testemunha Priscila Basile, 21 anos, que acompanhava a vítima, a confusão começou em um túnel da rodovia quando o retrovisor do veículo de Aires esbarrou no vidro traseiro do gol prata dos estudantes. "O Thomas perguntou para a gente se estava tudo bem, nós dissemos que sim, ele passou para a pista do meio e seguiu, mas quando vimos, o cara já estava do nosso lado com a arma em punho". Segundo a testemunha, Thomas foi atingido por uma bala na nuca ao tentar fugir do ex-policial, que parou impedindo a passagem do grupo. "Depois do meu amigo que estava no banco da frente tirar a perna no Thomas do acelerador e conseguir parar o carro, o cara mandou a gente descer e encostar no muro", relata. Momentos depois, a polícia chegou e Aires foi preso em flagrante. Emocionada, a jovem acompanha o julgamento desde cedo e aguarda a condenação. "Mas tristeza chega num patamar tão grande que a raiva e o desejo de justiça ficam até pequenos diante da tristeza", desabafa. Preso em flagrante, Aires foi desligado da polícia logo após ter cometido o crime. A sentença proferida nesta quarta-feira não permite que seja feito apelo em liberdade.

Agencia Estado,

07 Fevereiro 2007 | 23h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.