Ex-PM líder de milícia é condenado a 12 anos de prisão no Rio

Batman é apontado como líder da milícia 'Liga da Justiça', com atuação na zona oeste; ele havia fugido da prisão, em 2008, quando cumpria pena de 9 anos e 8 meses

Pedro da Rocha, estadão.com.br

09 de setembro de 2010 | 19h47

SÃO PAULO - O ex-PM Ricardo Teixeira Cruz, conhecido como Batman, foi condenado a mais 12 anos de prisão por formação de quadrilha. Apontado como líder da milícia Liga da Justiça, com atuação na Zona Oeste do Rio. Ele havia fugido da prisão, em outubro de 2008, quando cumpria pena de 9 anos e 8 meses. Até ser recapturado, em maio de 2009, reassumiu o comando do bando.

 

A juíza do caso, Alessandra Bilac, disse no julgamento que a certeza do poder exercido pelo grupo chegaram a tal ponto que Batman não teve o menor receio de aparecer no site YouTube. Em vídeo, ele afirmou que voltaria para tomar tudo o que era dele e que possuía vasto armamento, o qual teria sido "tomado" de traficantes.

 

Segundo a sentença, "o acusado, de acordo com o teor das interceptações telefônicas, apresenta total desprezo pela vida humana, mata e dá ordens de execução sem qualquer pudor".

 

Duas das vítimas teriam sido os irmãos Leonardo e Leandro Baring, que depuseram contra o bando. O primeiro foi morto após prestar declarações à polícia sobre uma chacina ocorrida na favela do Barbante, em 2008, quando sete pessoas foram assassinadas. O segundo, que chegou a depor em juízo e reconheceu Batman, foi morto na noite de último domingo, dia 5.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.