Ex-PM suspeito de integrar milícia Liga da Justiça foge da prisão no Rio

Carlos Ari é considerado um dos líderes da Liga da Justiça; cinco integrantes foram presos na quinta-feira

Priscila Trindade, estadão.com.br

02 Setembro 2011 | 10h55

SÃO PAULO - O ex-policial militar Carlos Ari fugiu na madrugada desta sexta-feira, 2, do Batalhão Especial Prisional (BEP), em Benfica, na zona norte do Rio. Ele estava preso desde junho de 2010 suspeito de integrar uma milícia que atua em Campo Grande, na zona oeste. A Polícia Militar disse que investiga as circunstâncias da fuga. Um sindicância pode ser aberta para apurar o caso.

 

Na quinta-feira, uma operação feita pela Polícia Civil e pelo Ministério Público do Rio mostrou que a milícia conhecida como Liga da Justiça, que atua há mais de 10 anos na zona oeste da cidade, continua agindo mesmo após a condenação de seus principais líderes - os irmãos Natalino, ex-deputado estadual, e Jerônimo Guimarães, o Jerominho, ex-vereador. Os dois foram presos em 2008 e estão no presídio federal de segurança máxima de Campo Grande.

 

Com a participação de 150 policiais, a Operação Pandora prendeu três ex-PMs e duas mulheres. Também foram apreendidos R$ 45 mil, além de carro, uma pistola e documentos que comprovam a atuação dos paramilitares.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.