Ex-policial é condenado pela morte de candidato a deputado

Depois de 12 horas de julgamento, o II Tribunal do Júri do Rio condenou, na noite de quarta-feira, o ex-PM Edmílson da Silva Carvalho, o Quinha, a cumprir 16 anos e meio de reclusão em regime fechado. Ele é acusado de ter assassinado a tiros o candidato a deputado estadual Luiz Fernando Petra Lopes de Carvalho (PDT-RJ), em setembro do ano passado. Quinha pode recorrer da sentença.A assessoria do Fórum informou que Carvalho confessou o assassinato e alegou legítima defesa. O fato de ele não ter antecedentes criminais e ser réu confesso foram atenuantes da pena, que poderia chegar a mais de 30 anos pelos três crimes. Carvalho foi julgado por porte ilegal de arma, homicídio duplamente qualificado e tentativa de homicídio, já que também tentou matar o assessor de Petra, Igor de Oliveira Pinheiro, que estava com ele na ocasião de sua morte. O réu perdeu o registro de policial militar. O ex-PM era cabo eleitoral de Evaristo de Carvalho, que também concorria à vaga de deputado estadual pelo PTB-RJ.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.