Ex-policial faz namorada e criança reféns por 4 horas no DF

Ele foi atingido por disparo no braço quando os policiais invadiram a casa, em Guará; mais ninguém ficou ferido

Priscila Trindade, Central de Notícias

24 Agosto 2009 | 16h10

Um ex-policial civil manteve nesta segunda-feira, 24, durante aproximadamente quatro horas, a namorada e a filha dela, de 5 anos de idade, reféns dentro de uma casa na cidade satélite do Guará, no Distrito Federal. Segundo a Polícia Civil, Edilson Menezes Cruz, de 40 anos, fez as duas como reféns por volta das 10 horas da manhã.

 

A garota e a mãe dela, com quem Menezes mantinha relações há cinco meses, ficaram sob a mira de uma pistola .40 e foram impedidas de sair da casa. O ex-policial não fez nenhum pedido aos agentes e falava coisas desconexas, segundo Cléber Monteiro Fernandes, diretor-geral da Polícia Civil.

 

Por volta das 13h40, a polícia entrou na casa e dominou Menezes, que chegou a efetuar um disparo. Nenhuma das reféns foram atingidas. Edilson foi baleado no braço e encaminhado a um hospital da região. Assim que receber alta, ele será levado para o 4.ª Delegacia de Polícia, em Guará.

 

Embora a situação de Menezes esteja sendo apurada pela polícia, Fernandes informou que o ex-policial foi expulso da corporação em 2001 por estupro e atentado ao pudor. Ele ainda cumpre pena e estava fora da cadeia após receber algum benefício. Menezes será atuado em flagrante por cárcere privado, ameaça, porte ilegal de arma e munição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.