Ex-prefeita é obrigada a devolver dinheiro

A ex-prefeita de Araçatuba, no interior de São Paulo, Germínia Dolce Venturolli, foi condenada a ressarcir os cofres do município em R$ 351.806,57 por causa de despesas ilegais pagas com dinheiro público durante o primeiro mandato. "Vamos acionar nossos advogados", informou o marido e ex-chefe de gabinete da prefeitura, Sylvio José Venturolli.Ela sofreu a condenação definitiva em ação civil pública iniciada depois que o Tribunal de Contas do Estado (TCE) e uma auditoria independente constataram diversas irregularidades nas contas de 1991.Também foi condenada a filha do ex-secretário da Fazenda Jatyr Marostegan, Vilma Motta Marostegan Granjeiro. De acordo com o processo, o ex-secretário gozou de parte dos gastos ilegais, mas, como ele morreu, recaiu sobre a filha e herdeira a responsabilidade de ressarcir a parte dele - R$ 32.419,82.As duas serão citadas nos próximos dias para depositar o dinheiro em 24 horas ou oferecer bens penhoráveis, caso queiram discutir os valores.Gastos com jantares para até 1.100 convidados e doação de dinheiro ao time de futebol profissional da Associação Esportiva Araçatuba (AEA) foram algumas das despesas ilegais pagas com recursos públicos por ordem da ex-prefeita.A fiscalização do TCE também comprovou a realização de churrascos com 93 dúzias de cerveja, 30 litros de chope e 2 litros de cachaça. Germínia alega que os jantares e churrascos tinham interesse público porque foram realizados para recepcionar autoridades em visita a Araçatuba.A ex-prefeita, que administrou Araçatuba de 1989 a 1992 e de 1997 a 2000, diz também não ter patrimônio suficiente para pagar a quantia determinada pela Justiça.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.