Ex-prefeito de Bauru condenado a 9 anos

O ex-prefeito Antonio Izzo Filho foi condenado a mais nove anos de prisão por tentativa de incêndio, atentados com o uso de arma de fogo e formação de quadrilha, no processo em que é acusado de ser o mandante dos ataques com bombas incendiárias às casas de quatro vereadores e de tiros contra os automóveis da assessora de um vereador e de um técnico de som, ocorridos no final de 1998 e começo de 99. O juiz Benedito Antonio Okuno, da 1ª Vara Criminal de Bauru, também condenou três outros envolvidos a penas que variam de 6 anos e 2 meses a 7 anos e 10 meses. Os atentados ocorreram logo depois que Izzo Filho, cassado pela Câmara em agosto de 1998, retornou ao cargo com liminar do Tribunal de Justiça do Estado, no dia 3 de dezembro do mesmo ano. O ex-prefeito encontra-se preso na Cadeia de Bauru desde o dia 14 de maio de 1999, quando entregou-se à polícia em obediência a mandados de prisão preventiva emitidos pelo desembagador Djalma Lofrano, do Tribunal de Justiça do Estado. O ex-prefeito conseguiu vários habeas-corpus, mas continua recolhido em razão de uma sentença da Justiça Federal que o condenou por desvio de verbas do programa de lotes urbanizados, ocorrido em 1992, no final do seu primeiro mandato.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.