Ex-prefeito de Guarujá é transferido para Cadeião

Depois de dormir em uma cela comum da cadeia anexa à delegacia-sede de Guarujá, o ex-prefeito Ruy Gonzalez foi transferido para a Cadeia Pública de Praia Grande, o Cadeião, também conhecido como Dacar-10, onde estão abrigados 1011 detentos. Acusado de envolvimento com a quadrilha de assaltantes de banco que roubou, na manhã de terça-feira, uma agência do Banespa, o ex-prefeito não terá o privilégio de cela especial, pois não possui curso universitário. Os advogados de Gonzalez anunciaram que vão entrar com recurso para que o acusado aguarde o julgamento em liberdade.Segundo o delegado-titular de Guarujá, Mílson Calves, será muito difícil o relaxamento da prisão, por causa das evidências que apontam envolvimento do ex-prefeito com os assaltantes. Por intermédio de denúncia anônima, a polícia chegou à residência de Gonzalez, localizada na Praia do Guaiúba, uma hora após à perseguição aos marginais. Na mansão de Gonzalez foram encontrados 120 mil dólares, jóias, armas e até os veículos utilizados no roubo. O ex-prefeito alega que foi vítima dos assaltantes, que entraram em sua casa fazendo-o de refém. Mas o argumento não convenceu os policiais, já que os carros estavam corretamente estacionados no jardim. Três marginais entregaram-se sem resistência, enquanto que um deles recebeu os policiais a tiros e acabou sendo morto. Ruy Gonzalez foi eleito prefeito de Guarujá com 44 mil votos, em 1992. Ele governou o município no período de 1993 a 1996. Foi uma administração conturbada por denúncias de improbidade administrativa. Gonzalez teve seus direitos políticos suspensos, mas se prepara para voltar a política no ano que vem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.