Ex-sargento é condenado por morte de corregedor da PF

Após mais de 16 horas de julgamento, o Tribunal Federal do Júri, em São Paulo, condenou hoje o ex-sargento da PM Sergio Bueno a 27 anos de prisão, em regime fechado, por homicídio qualificado contra o delegado corregedor da Polícia Federal, Alcioni Serafim de Santana.O ex-sargento é acusado de intermediar a contratação dos pistoleiros Gildasio Teixeira Roma e Carlos Alberto da Silva Gomes, que mataram Alcioni, no dia 27 de maio de 1998. O policial foi atingido por vários tiros quando saía de sua residência, na zona norte de São Paulo.O mandante do crime, segundo o Ministério Público, é o ex-delegado federal Carlos Leonel da Silva Cruz, condenado em primeira instância por corrupção e que estava sendo investigado por Alcioni. Carlos Leonel será julgado no dia 16.Por ter sido condenado a pena superior a 20 anos de prisão, Sergio Bueno tem direito a um segundo júri, sem precisar apelar da sentença ao Tribunal Regional Federal. Os dois pistoleiros, condenados no ano passado a 25 anos de cadeia cada um, pelo mesmo motivo, serão levados a novo júri. O de Silva Gomes já está marcado para o dia 2 de abril. Outro réu no processo, Gildenor Alves de Oliveira, acusado de contratar os pistoleiros e lhes fornecer as armas do crime, foi julgado e condenado a 19 anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.