Ex-soldados teriam participado do bando que invadiu quartel

A Promotoria de Justiça do Rio afirma que dois ex-militares, um ex-cabo e um ex-soldado do Exército, integram o bando, de 20 homens, responsável pelo roubo, no último dia 3, de dez fuzis e uma pistola do interior do quartel do Exército localizado em São Cristóvão, na zona norte do Rio. Os dois ex-militares já prestaram serviço no Estabelecimento Central de Transporte (ECT), de onde foram levadas as armas. Outros dois bandidos já teriam sido identificados também.O promotor Carlos Gomes Facuri disse na sexta-feira que o caso pode ser esclarecido ainda neste final de semana. "Eu acredito que, no domingo, a população fluminense vai ter sossego. É o que todos nós queremos", afirma o promotor. O promotor afirmou que até o momento, o Ministério Público Militar não recebeu qualquer informação sobre irregularidade cometidas pelo Exército na operação de busca às armas. A informação de que traficantes dos morros ocupados estão ordenando que a população faça protestos em frente ao Palácio Duque de Caxias, onde fica o Comando Militar do Leste, está sendo apurada. O vice-presidente, José Alencar, considerou necessária a ação do Exército no Rio.Os moradores denunciam agressões contra membros das comunidades das favelas. "Até agora, não tomei nenhum conhecimento de nada nesse sentido. Caso realmente tenham acontecido, as apurações virão pelo Ministério Público Militar, as providências serão tomadas e as responsabilidades serão apuradas", acrescentou. O Ministério Público Federal entrou com uma ação cautelar pedindo, à Justiça, a suspensão da operação no Rio que vem sendo realizada desde o dia do roubo do armamento. São 1.200 homens do Exército ocupando 9 morros e ruas em torno deles com o auxílio da Polícia Militar. Os morros ocupados são: Vila Formosa, Nova Brasília, Jacarezinho, Mangueiras, Manguinhos, Vila dos Pinheiros, Parque Alegria, Providência e Dendê.Com a informação de que as armas havia saído do Rio e estavam prestes a voltar, o Exército montou várias blitze nos principais acessos da cidade. São eles: Rodovia Presidente Dutra, quilômetro 217, altura de Paracambi, com 20 homens; Rodovia Washington Luís, quilômetro 109, altura de Caxias, com 36 homens; Baía de Guanabara, com 8 homens, 4 policiais federais e uma lancha da Polícia Federal; Ponte Rio Niterói. Na saída da Ponte, sentido Niterói, com 15 homens e auxílio de 25 policiais rodoviários federais; e Rodovia Rio-Santos, próximo a Itaguaí, com 25 homens e auxílio de 11 policiais rodoviários federais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.