Ex-tenente é condenado a 59 anos de prisão

O ex-segundo tenente da Polícia Militar Alessandro Rodrigues de Oliveira, de 26 anos, foi condenado hoje a 59 anos e seis meses de prisão, em regime fechado. Ele foi acusado de comandar a morte de três jovens, assassinados no carnaval de 1999, em Praia Grande.Anderson Pereira dos Santos, de 14 anos, Thiago dos Passos Ferreira, de 16, e Paulo Roberto da Silva, de 21, foram mortos com tiros na cabeça em uma área de mangue, em Praia Grande. Seus corpos foram encontrados 17 dias depois, período em que os quatro policiais acusados negavam até a abordagem, feita de maneira truculenta, segundo testemunhas, após a saída de um baile na Praia do Itararé, em São Vicente. Eles teriam sido levados em um camburão até um manguezal, onde foram executados.O advogado de defesa do ex-oficial, Jaime Camilo Marques informou que vai apelar ao Tribunal de Justiça.MãesOs jurados acataram a argumentação da promotoria, de que o ex-oficial comandou a chacina. As mães das três vítimas que desde a manhã de terça-feira acompanharam ojulgamento, no Fórum de Praia Grande, mostraram-se satisfeitas com o resultado do júri. "O que a Justiça podia me dar ela está dando. Agora não basta só a condenação, mas o cumprimento integral da pena", afirmou Silvia Giordano, mãe de Thiago.Para o promotor Walfredo Cunha Campos, foi feita justiça com a condenação do quarto policial que participou das mortes. Os três ex-soldados da PM que foram julgados no ano passado pelo mesmo crime foram condenados a penas de 52 a 59 anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.