Exame de DNA condena ex-policial por assassinato

Com base num exame de DNA, o Tribunal do Júri de Brasília condenou hoje o ex-policial civil José Pedro da Silva, de 43 anos, pelo assassinato da estudante Michelle de Oliveira Barbosa, cujo corpo nunca foi encontrado. O crime ocorreu em 1998, quando a menina tinha 16 anos e estava, segundo a acusação, grávida do ex-policial, com quem mantinha um romance escondido. A pena fixada pela juíza Sandra de Santis foi de 15 anos em regime fechado, mais 2 anos, em regime semi-aberto, por ocultação de cadáver.Apesar da condenação, o réu, que era amigo da família da vítima, continuará em liberdade pelo menos até que sejam julgados três recursos, o que só deverá ocorrer no ano que vem. A decisão levou em conta que ele é primário, tem endereço fixo e não ameaçou testemunhas nem a ordem pública no transcorrer do processo. O advogado de defesa, Edmilson Menezes, disse que recorrerá contra a sentença ao Tribunal de Justiça do Distrito Federal. Outros dois recursos precisam ainda ser julgados no Superior Tribunal de Justiça (STJ). ?A Justiça fez justiça. Espero agora que ele (o ex-policial) diga onde está o corpo da minha filha?, disse o pai da menina, o repórter fotográfico Givaldo Barbosa, de 47 anos. Sua mulher Aparecida, de 45 anos, chorou após o anúncio da decisão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.