Exame de DNA confirma que corpo exumado é do menino Juan

Cadáver passou por exumação em 17 de agosto, no Cemitério de Nova Iguaçu, no Rio; garoto de 11 anos foi morto durante uma troca de tiros entre policiais e traficantes

Priscila Trindade, da Central de Notícias,

27 Outubro 2011 | 20h35

SÃO PAULO - A Defensoria Pública do Rio de Janeiro informou, na noite desta quinta-feira, 27, que exames de DNA conformaram a identificação do cadáver exumado no dia 17 de agosto, no Cemitério de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, como sendo do menino Juan Moraes Neves, de 11 anos.

O garoto desapareceu no dia 20 de junho durante uma suposta troca de tiros entre policiais e traficantes na comunidade Danon, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Além de Juan, o suposto traficante Igor de Souza Afonso, de 17 anos, morreu durante a incursão policial.O irmão de Juan, Wesley de Moraes, de 14 anos, e um vendedor, de 19 anos, ficaram feridos. Os sobreviventes foram incluídos em programas federais de proteção a testemunhas.

A ossada de Juan foi encontrada dez dias depois, no Rio Botas, em Belford Roxo, também na Baixada. No mesmo dia, a Polícia Civil divulgou tratar-se do corpo de uma menina. Depois, a Polícia Civil do Rio afirmou que o corpo era do menino Juan.

Os novos exames de tipagem genética, cadavérico e antropológico, foram realizados a pedido do defensor público Antonio Carlos Oliveira, que representa o PM Edilberto Barros do Nascimento, um dos quatro policiais militares presos suspeitos da morte do menor.

No dia 16 de setembro, a 4ª Vara Criminal de Nova Iguaçu, decretou a prisão dos quatro policiais militares suspeitos de envolvimento na norte do garoto. Os sargentos Isaías Souza do Carmo e Ubirani Soares, e os cabos Rubens da Silva e Edilberto Barros do Nascimento já estavam presos temporariamente.

O governo do Rio de Janeiro quer oferecer R$ 200 mil de indenização a família do menino Juan. A informação foi divulgada no dia 17 de setembro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.