Exame não identifica pólvora nas mãos de André Capeta

A versão da polícia de que o traficante André da Cruz Barbosa, o André Capeta, teria se suicidado foi posta em dúvida nesta quarta-feira. O laudo do exame residuográfico não identificou pólvora nas mãos do criminoso, um dos suspeitos de ter assassinado Tim Lopes. Apesar de o laudo ter dado negativo, Teixeira insiste na hipótese de suicídio. De acordo com o chefe de polícia, o traficante teria passado por assepsia com iodo durante o atendimento médico, o que impediu que o exame revelasse a presença de pólvora nas mãos dele. "O tiro foi dado de baixo para cima, colado à cabeça, e do lado esquerdo. Ele era canhoto. Além disso, temos a perícia no local da morte e provas testemunhais", afirmou Teixeira, sem entrar em detalhes. Policiais que investigam o caso contam que Capeta estava deprimido com a morte de Maurício de Lima Matias, o Boizinho, outro dos envolvidos. "Ele cheirava (cocaína) há quatro dias e não comia", contou um policial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.