Emma Foster/EFE
Emma Foster/EFE

Examinar dados das caixas-pretas do voo 447 pode levar meses, diz BEA

Só a extração de dados dos equipamentos pode demorar mais de três dias, segundo investigadores

Reuters,

12 de maio de 2011 | 08h28

PARIS - Investigadores que analisam o acidente com o voo 447 da Air France vão começar a decodificar as caixas-pretas da aeronave, mas disseram nesta quinta-feira, 12, que isso pode levar meses e que não há garantias de que as causas do acidente, que matou todas as 228 pessoas a bordo, serão descobertas. Apenas a extração de dados dos aparelhos deve demorar três dias.

Os gravadores de dados e de voz foram recuperados do fundo do mar e mostrados pela primeira vez nesta manhã. Jean-Paul Troadec, diretor do BEA, a agência francesa que investiga acidentes aéreos, disse que pode não ser possível determinar o que deu errado antes do acidente, que aconteceu em 2009, quando o avião que fazia a rota Rio-Paris caiu no mar após enfrentar uma forte tempestade.  "Esperamos poder lê-las, mesmo que isso ainda não esteja garantido", afirmou.

 

Troadec informou que levará no mínimo até o fim de semana para que sejam extraídas cópias dos dados - uma para a equipe que investiga o acidente e outra para os promotores franceses que analisam o caso. "É um processo muito complexo", disse em entrevista coletiva que contou com a presença de familiares das vítimas. "Levará uma certa quantidade de tempo." No melhor cenário possível, um relatório com as descobertas pode ser divulgado no início de 2012.

Angústia. Cerca de 50 corpos foram localizados no local do acidente, disse o promotor público francês Jean Quintard. Dois corpos foram retirados do local na semana passada, mas os investigadores afirmam que, se não conseguirem retirar amostras de DNA dos cadáveres para identificá-los, abandonarão os planos de resgatar os demais corpos.

 

"Estamos esperando há 23 meses, o que é bastante tempo", disse Robert Soulas, que perdeu a filha e o cunhado na tragédia. "Ficamos frustrados durante esses longos meses e esperamos que isso seja uma nova saída e que as coisas aconteçam rapidamente."

As equipes de busca também encontraram partes do cockpit da aeronave, incluindo os assentos dos pilotos e partes elétricas. Investigadores disseram que os sensores de velocidade do avião, inicialmente apontados como possível causa do acidente, ainda não foram encontrados.

 

Veja também:

linkResultado de DNA de vítimas sai em sete dias, diz França

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.