Excesso de peso pode ter causado desabamento de mezanino

Cinco pessoas ficaram presas sob os escombros de uma loja de "O Boticário", instalada na praça de eventos do Shopping Interlagos, na zona sul de São Paulo. O mezanino desabou no início da tarde, talvez em função do peso de caixas de perfumes e cosméticos. Renata Gonçalves Santana, Maria José Silva Bispo, Andréa Pereira Santos e Neide Celestino da Cunha eram vendedoras e foram surpreendidas pela queda do piso superior. Elas foram socorridas pelos bombeiros e equipes de resgate do próprio shopping e levadas para os hospitais Pedreira e Jabaquara. As vítimas sofreram escoriações e fraturas, mas já foram liberadas. Já um cliente, identificado apenas como Leonardo, que também ficou preso no entulho, recusou atendimento médico. O acidente provocou pânico entre lojistas e freqüentadores do shopping e deu muito trabalho à auxiliar de enfermagem Irani Góis, que estava sozinha na enfermaria do local, na hora do acidente. Ela atendeu cerca de 20 pessoas, algumas com escoriações e pequenos cortes, mas a maioria passou mal apenas devido ao susto. "Nunca trabalhei tanto", disse a auxiliar. O estudante Leonardo Hiabe, de 17 anos, que estava dentro da loja na hora do desabamento, contou que ouviu um barulho e, em seguida, o teto veio abaixo. Por sorte, ele conseguiu se abrigar embaixo de um balcão e nada sofreu. "Acho que nasci de novo." Para o funcionário da Defesa Civil, Elton Ferreira, o acidente foi provocado pelo excesso de peso do estoque. "Havia muitas caixas pesadas e o piso de ferro e madeira não resistiu."A direção do shopping emitiu uma nota afirmando que as causas do acidente ainda estão sendo apuradas. Em entrevista a uma rádio, o presidente de "O Boticário", Miguel Krisksner, disse que as lojas são responsabilidade dos franquiados. Admitiu, porém, que, se ficar provado que houve negligência quanto à questão de segurança na armazenagem dos estoques, o proprietário poderá ser descredenciado.

Agencia Estado,

16 de novembro de 2002 | 19h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.