Executivo brasileiro é encontrado morto em Moçambique, na África

Corpo de engenheiro que trabalhava para a Andrade Gutierrez deve chegar ao Brasil nesta segunda-feira

Marcelo Portela, O Estado de S.Paulo

27 Novembro 2011 | 20h46

BELO HORIZONTE - Deve chegar na segunda-feira, 27, ao Brasil o corpo do engenheiro brasileiro Marcelo Elísio de Andrade, de 57 anos. Ele foi encontrado morto em sua casa em Maputo, capital do Moçambique, neste domingo.

Natural de Minas Gerais, Elísio era diretor da Zagope - Construções e Engenharia S/A, adquirida pelo grupo Andrade Gutierrez em 1988. Ele morava no país africano desde 2009, onde a empresa realiza obras de infraestrutura.

A polícia moçambicana ainda não se pronunciou oficialmente sobre as circunstâncias da morte, o que deve ocorrer nos próximos dias. Segundo a imprensa do país, Elísio foi visto chegando em sua casa na sexta-feira na companhia de duas pessoas que frequentavam o local e que deixaram a residência algumas horas depois. O corpo do engenheiro foi encontrado na cozinha, onde havia também um boné sujo de sangue.

A Andrade Gutierrez acompanha as investigações do caso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.