Executivo de banco francês desaparece e usineiro é suspeito

O vice-presidente do Banco Nacional de Paris no Brasil, Carlos Alberto Araújo, está desaparecido desde o início da tarde de domingo após um encontro, em Ribeirão Preto, com o empresário Alexandre Titoto um dos diretores da Usina Ipiranga, cuja sede é em Mococa. A polícia suspeita que Araújo tenha sido assassinado e que o crime tenha sido cometido por Titoto. Isso porque os dois se encontraram no último sábado e marcaram um novo encontro no escritório de Titoto, em Ribeirão Preto, na tarde deste domingo para tratar de negócios. No local, segundo testemunhas, os dois teriam se desentendido e Araújo teria sido morto. Titoto foi detido pela polícia, que pediu sua prisão temporária, e já prestou depoimento na Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Ribeirão Preto. No encontro, Araújo chegou com seu carro, encontrou na portaria do prédio com o empresário e, em seguida, ambosforam para o escritório. A polícia informou que o porteiro do prédio ouviu barulho de objetos sendo quebrados. Em seguida, Titoto teria descido e ordenado ao porteiro que aguardasse a chegada do seu motorista na rua, o quenão ocorreu. Segundo a polícia, o porteiro voltou à guarita e observou Titoto saindo em um automóvel acompanhado de uma pessoa, mas não conseguiu identificá-la. Durante a troca de turno dos vigias e a vistoria de rotina feita no edifício, foram encontradas marcas de sangue no elevador e nas escadas. Apolícia foi chamada, entrou no escritório de Titoto e constatou que houve briga no local. Encontrou ainda um cheque do empresário no valor de R$ 405 mil, rasgado. Em seguida, Titoto voltou ao prédio, conversou com porteiro que o teria relatado o fato. Segundo a polícia, o empresário teria ficado irritado e desapareceu. Titoto foi detido pela manhã em Mococa e, depois de prestardepoimento na DIG, está fazendo exame pericial no Departamento de Medicina Legal (DML) de Ribeirão Preto. Apesar de pedida, a sua prisão temporária ainda não foi decretada pela Justiça. O carro de Araújo foi encontrado nagaragem do edifício no qual ocorreu a reunião, foi recolhido pela polícia e ele continua desaparecido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.