Executivo é o caixa dos sanguessugas, diz Alckmin

O candidato da coligação PSDB/PFL à Presidência da República, Geraldo Alckmin, defendeu nesta quarta-feira a investigação e punição de todos os envolvidos no esquema de desvio de recursos do Orçamento da União para compra superfaturada de ambulâncias. Alckmin disse que o escândalo mostra que a corrupção continua, porque o dinheiro sai do Executivo, e lembrou que, dos 57 parlamentares sob investigação, 50 são da base do governo."O dinheiro sai do Executivo. Precisa punir o Legislativo e o Executivo, que é o caixa. Isso mostra que a corrupção continua e que o governo não tem controle do dinheiro público", afirmou Alckmin, prometendo que, se eleito, trabalhará dia e noite para acabar com a corrupção."Não há governo ético se ele não é eficiente", sustentou, em entrevista após se reunir por três horas com o comando de sua campanha. "É preciso fazer mais e melhor com o mesmo dinheiro". O candidato citou que o Estado de São Paulo economizou R$ 4 bilhões em eficiência, ao usar o pregão eletrônico para compras públicas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.