Executivo incluiu alterações em pelo menos 50 projetos votados na Câmara

O líder do governo na Câmara Municipal de São Paulo, José Police Neto (PSDB), saiu ontem em defesa da interferência do Executivo em projetos de vereadores e disse que só este ano houve o dedo do governo Gilberto Kassab (DEM) em 50 das propostas, todas negociadadas com os respectivos autores. "É uma lista de 50 projetos em que todos eles tiveram essas intervenções da liderança do governo para que o texto pudesse ser recepcionado pela assessoria técnico-legislativa e ser sancionado. Diferentemente de períodos anteriores, quando as matérias eram votadas aqui e todas vetadas pelo Executivo, o que a gente passou a fazer é uma intervenção técnica nas matérias, permitindo que elas possam ir à sanção", disse Police Neto. Ontem, o Estado informou que uma manobra do governo permitiu mudanças importantes na lei que terceirizou serviços de saúde de São Paulo. As alterações foram feitas por um substitutivo, em um projeto que não tinha a ver com tema, sobre anemia falciforme, e geraram protestos na Câmara.A assessoria do líder informou que, em resumo, entre os 50 projetos há casos em que a liderança inseriu assuntos de interesse do Executivo, a minoria dos casos, ou confeccionou um substitutivo à proposta, após consulta ao governo."Aprovar matérias por meio de ?contrabando? em um projeto explica a falta de confiança que a população tem na Câmara", criticou o diretor da Transparência Brasil, Claudio Abramo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.