Executivo seqüestrado é libertado em São Paulo

O executivo Paulo José Sachi, presidente da Spal, engarrafadora e distribuidora da Coca-Cola do Brasil, foi libertado após pagamento de resgate ontem de madrugada. Ele foi solto na zona oeste de São Paulo, horas depois de a família entregar o dinheiro aos bandidos na Rodovia Raposo Tavares. A polícia e a imprensa foram mantidas afastadas do caso.Sachi foi levado na noite do dia 12, perto da Ponte João Dias, zona sul de São Paulo. Ele voltava para casa em seu Passat quando foi fechado pelos criminosos. Os bandidos telefonaram para a família e exigiram R$ 120 mil. Disseram ter abandonado o carro da vítima atrás de um motel na Marginal do Pinheiros.As negociações foram feitas por profissionais de uma empresa contratada pela Spal. Eles ficaram na casa da família acompanhando os contatos. O valor pago não foi revelado, mas é menor do que o pedido inicial. A hipótese mais provável é que Sachi tenha sido escolhido pelo bando por causa de seu carro.A Divisão Anti-Seqüestro (DAS) informou apenas que havia começado a apurar o caso e não ia divulgar mais dados para não atrapalhar as investigações. Os policiais afirmaram que nenhuma testemunha foi localizada, não sabiam quantos homens participaram do seqüestro nem a rua onde o executivo foi dominado. Agora, devem ser ouvidos parentes e funcionários da empresa.Após duas semanas sem seqüestros em São Paulo em fevereiro, a polícia registrou quatro casos na cidade. Em janeiro, houve 48 no Estado. Um mês depois, o número caiu para 24.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.